sábado, 21 de janeiro de 2017

diário 21-01-14

Como pode? o amor mata, inferniza o coração daqueles que nunca serão correspondidos. O amor acaba com a esperança, com o sopro de vida, com a vontade de comer, dançar, sorrir. O amor, como um alvo para setas, oferece muitas mais possibilidade de erro que de acertos. No entanto somos levados a louva-lo por todo a vida. Engrandece-lo como um cruel senhor feudal “obrigado por suas migalhas, pelos pequenos carinhos, pelas leves esperanças”. O amor está reservado a poucos, pouquíssimos e eu não sou um deles...

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Lembrete:

   Nunca se fie em anjos que aparecem nas suas tardes vadias.
   Nunca se fiar em anjos que lhe beijam a boca, de língua.
   Nem aceite caricias escandalosamente boas de anjos que lhe atraiam para trás do jardim, do Èdem.  
   Não aceite do néctar de suas angélicas bocas.
   Não sorva de seus suores...

   Não acredite em anjos! eles traem .