sexta-feira, 22 de novembro de 2013

mulher bomba



Querida amiga. Sei que você está acompanhando o quadro do fantástico sobre as obras de Helen Palmer, pseudônimo de Clarisse Linspector. E sei também que a senhora se sente incomodada com o tom burguesinho que esse quadro tem dado as suas noites de domingo. Então eu que muito lhe quero bem, devo instruí-la no sentido de exorcizar essa burguesa que insiste em apodera-se da senhora. Pra começar deixe dessas besteiras de acreditar no amor. O sexo é melhor. Mas o sexo lhe traz  um vazio terrível certo? Pois é ai que começamos o nosso exorcismo. O que é esse vazio que você sente quando tem tudo, quando o amor e o sexo já se mostraram incompletos? Essa coisas é a tal da vida. A vida é uma vazio terrível, nada aqui dura pra sempre, nem nada é definitivo. E nós viciados em agremiações insistimos em imitarmos repetirmos, assim como nossos pais, assim como nossos amigos e assim, repetindo vamos fingindo que a felicidade nos sorriu. Quando não, nos apoderamos de tábuas salvadoras como a igreja, o trabalho, filhos etc.. Querida: dance. O vazio foi feito pra isso, pra dançar. Encontre o ritmo que o seu vazio lhe impõe e dance com ele. Dançar ao ritmo imposto por outrem é passar a vida no faz-de-conta que é feliz. Nada mais provocador, anarquista e sedutor que uma mulher, ser-para-o-mundo-masculino que ser ela mesmo na sua qualidade trágica. Desafie-nos com alguma autenticidade e nós repararemos em você, nas suas roupas, maquiagem etc...  bjs m.paumirinha. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.