segunda-feira, 8 de julho de 2013

#vandalismo

1.       Ajudar os hebreus na fuga do Egito beleza, mas, obstruir o mar vermelho já é vandalismo.  Geral vira piadista no fece nesses tempos de “já é vandalismo” e eu também quero jogar! Mas, digamos que o tal pássaro de minerva (filosofia) começa a subir voo, e querer entender os protestos e os possíveis desdobramentos. A coisa está cada vez mais com a mesma cara de sempre: Brasil oficial e Brasil real. Quando as bombas de gás e as balas atingem aqueles que julgam viver no Brasil oficial, a realidade se mostra dura, a violência da policia, do bandido, do estado faz parte do Brasil real. E esse é um pouco mais difícil arrumar. O oficia já está se arrumando pra transformar isso em plebiscito, em pautas, em reuniões com lideres. Etc.. querem castrar as manifestações do  Brasil real. De outro lado tem a frase feita “saímos do facebook”  se isso for verdade estamos feitos....”se forem tão bom em política quanto são em estética...” diz Caetano, “estamos feitos...” haja visto que as discussões no face são a face mais burra da internet, e acaba em ironia e sarcasmo, ou seja, nada.
2.       A presidente citou a bandeira nacional “ordem e progresso” e nada mais certo que nós pensarmos sobre. Porque, assim, como o hino nacional essa frase fala bonito mais diz pouco. Eu colocaria nesses stautus da bandeira a frase de Henfil: “só dói quando rio”. O Brasil tem essa qualidade, tudo é lindo, o sol, as pessoas, as praias. Mas, quando alguém mexe, quando resolve comparar, questionar, olhar melhor....dai dói. É muita pobreza, falta o essencial, e nessa falta sobra discórdia (o numero de mortes por brigas fúteis!) sobra espertalhões.  Das coisas belas há o povo, alegre e festeiro e quando eu tendo festar também dói mais ainda. Não resta escolha, ou se resolve as causas das dores nacionais ou vamos continuar rindo e doendo.
3.       Aporia – palavrinha foda da filosofia. Em si significa “sem poro”, sem saída. No pensamento filosófico a aporia é um bom resultado pois “zera” um raciocínio. Exemplo: Marx trabalha como pedreiro, ele vendo sua força de trabalho. Sem o trabalho de Marx, telhas, tijolos, cimentos.... Não se configuram sozinhos numa casa. Então quem compra uma casa, feita por Marx, compra na verdade o trabalho de Marx. Mas, o próprio Marx não conseguem comprar uma casa, pois ganha menos que isso. Marx ganha menos que seu próprio trabalho. É um exemplo de aporia Marxista. (como vocês podem ver Marxista aí só significa que o nome do sujeito é Marx se se chamasse Paulo seria Paulinista etc...) e (pra provar que eu não sou de esquerda, é démodé) com base nessa aporia podemos pensar numa outra, que andou circulando a internet esses tempos:
4.       “toda criança, adotada por casais gays foram abandonadas por casais heteros” é um pensamento obvio e visa reconhecer o direito dos casais gays de terem filhos. E, para o bem da verdade, não está correta. A principal característica dos casais heteros que abandonam crianças não é ser heterossexual. Portanto não podemos julga-los por esse mérito e sim pelo demérito de abandonar crianças. Então uma coisa importante para sociedade e mais importante ainda pra alguns casais, que é adotar crianças, não deve ser reduzida á uma frase pra circular mais facilmente pelo facebook. Nem tudo pode ser reduzido a uma proposição lógica. Na minha opinião a característica sexual das pessoas não afeta a paternidade ou maternidade, pode-se ser um péssimo pai sendo gay ou não.
5.       um homem sem religião é como um peixe sem bicicleta ou um homem sem facebook é como um peixe sem bicicleta ou a lastima de descobrir-se mascara sob a mascara sob...a sociedade e suas mentiras tão confortáveis e mais confortáveis ainda por sabemo-lás mentiras. Meu reino por uma única verdade, isso não é um desejo, é uma simples conclusão lógica, uma misera verdade vale todo um reino. Sabe-se que o caminho é feito de pedras, pedras, pedras.  
6.       Filmes assistidos.  
Trilogia millenium. Assisti 1, 3 e 2 e mesmo assim o 2 conseguiu ser surpreendente. Filmes incríveis em vários aspectos, fotografia atuação e principalmente o roteiro. E também assustador ao percebemos que a maldade humana não tem limites e o poder corrompe 99% das pessoas.
Na natureza selvagem – um filme de viagem, belas passagens relacionadas com a vida autentica e a vida moderna “civilizada”. O filme não é uma apologia do viver na selva e sim as perdas e ganhos por se ser o que se é. A verdade pode ser cara, mas, sempre nobre.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.