terça-feira, 10 de abril de 2012

Só.

                                                                10-04-12

Só
faço poema de amor.
Porque da fome não sai poesia,
sobre a morte não se verseja,
nem a vitoria deve ser cantada.
Da vida: vive-se.
Só do amor,
louva-se

                                                     9-04-12

Quando te elogiei
falei a verdade
mas, errei ao falar...
não era tempo

Não gosto de te ver,
de te ter por perto,
da tua mão, macia, do teu modo de
arrumar os óculos,
do teu sotaque curitibano.
Não gosto.
E não gosto
 de
Não gostar
de
você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.