quarta-feira, 14 de março de 2012

o infinito é inexprimível.
do nada, nada se pode determinar.
mas da sua falta é certo dizer, Dói.

sobra de nuvem que passa
cor da brisa
trajetória de uma borboleta

tudo está presente, e compõe o mundo.
mas a saudade, essa não está...
nem é possível dize-la: "aqui", "em mim".

(ela existe e quando atrevo
descreve-la, foge,
substituída por uma lembrança sua
mesmo aquela ultima, de malas na mão)

ficamos eu e imagem
nesse paraíso, cujo céu e sol
brilham, inutilmente

da falta que é presente
é possível dizer "saudade"?

...

Ensaio do fado do relógio parado

                                               sob WH Auden para Luiz Mott

Cancelem o download!
Quebrem o Dress Code!

parem a produção de Ipad
Hi is Dead!

interrompam o concerto
mi amor es muerto!

gritem no autofalante!
nada é mais importante:

Ele está morto...

...na gaiola padeceu
Liberdade aqui vou eu!

vou a toda, na direção
do gozo fácil no banheirão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.